BLOG

Início 

Blog

Google Ads: métricas simples e otimização

Com tudo configurado e rodando no seu Google Ads, chega a hora de entender como você mensura seus resultados. Existem muitas métricas e cada uma será mais útil para cada situação, mas são 4 as métricas principais: impressões, cliques, visualizações e conversões.

Imagine que você criou sua campanha e ela é exibida para um usuário durante a sua busca. O usuário digitou seu termo de busca que foi compatível com as suas palavras-chave e ativou o gatilho de exibição de anúncio. Seu anúncio apareceu e foi visualizado pelo usuário. Chamamos a visualização do anúncio, sem qualquer ação, de impressão. Se o usuário visualizou e clicou no anúncio, chamamos de clique.

Após o clique seu usuário é redirecionado para a sua página, e para obter dados daqui para frente você precisará configurar as tags de conversão. Clicando no anúncio, seu usuário é redirecionado para o seu site ou sua landing page, onde você espera que ele execute determinada ação. Um cadastro, compra, assinatura de newsletter, download de e-book, ou qualquer outra ação pré-determinada. Essa ação será chamada de conversão. Vamos entender como essas métricas se relacionam e quais conclusões pode-se tirar a partir delas.

1. Impressões

É o número de vezes que seu anúncio apareceu para as pessoas, podendo ter várias impressões para a mesma pessoa (comum em remarketing). Caso você não tenha um bom número de impressões, você deve melhorar suas palavras-chave, pois elas não estão ativando seu anúncio. Volte ao seu planejador de palavras-chave e adote novas estratégias.

2. Cliques

Como visto anteriormente os cliques se mostram o número de vezes que as pessoas clicaram no seu vídeo. Os cliques podem ajudar você a identificar se o anúncio é atraente para as pessoas que o visualizam. Anúncios atraentes são mais propensos a receber cliques. Já a Taxa de cliques (CTR) é o número de cliques que seu anúncio recebe dividido pelo número de vezes que ele é exibido. Essa taxa é expressa como porcentagem. Um número baixo de cliques e alto de impressões aponta alguma falha em seus anúncios, talvez eles são sejam atrativos o suficiente para seu usuário. A relação entre impressões e cliques é chamada de CTR (Click Through Rate). Um bom CTR depende do seu negócio, mas empresas que analisam estes dados massivamente indicam que um bom CTR é pelo menos 2%.

3. Visualizações

Utilizadas quando nos formatos de vídeo, são importantes para determinar se a sua mensagem foi efetivamente transmitida. Diferente das impressões, aqui podemos saber que, além de exposto ao anúncio, o usuário efetivamente viu seu vídeo. Como visto anteriormente, uma das relações derivadas da visualização é o CPV, ou custo por visualização, que é o valor médio que você paga quando um espectador assiste a 30 segundos do seu vídeo (ou ao vídeo completo, quando ele tem menos de 30 segundos) ou se engaja com ele, o que acontecer primeiro.

Seu CPV médio não pode ser equivalente ao CPV máximo. O CPV máximo é o valor máximo que você deseja pagar por uma exibição de anúncio. Mostra o número de visualizações ou engajamentos que seu anúncio em vídeo recebe, dividido pelo número de vezes que ele é exibido (impressões do vídeo e da miniatura).

Outro tipo de desempenho a ser analisado é taxa de visualização que mostra o número de visualizações ou engajamentos que seu anúncio em vídeo recebe dividido pelo número de vezes que ele é exibido (impressões do vídeo e da miniatura). Este tipo de estratégia de lance associado a esta métrica pode garantir que seus potenciais clientes vejam toda a mensagem que você precisa passar. O engajamento também ajuda a mensurar o sucesso de uma campanha de vídeo, já que o engajamento mostra o número de cliques em elementos interativos, como teasers ou ícones para expandir todos os cartões que podem estar no seu vídeo. E da mesma forma a taxa de engajamento pode ser mensurada em forma de porcentagem calculando (engajamentos ÷ impressões = taxa de engajamento), porém esta informação a plataforma Google Ads também traz de forma pronta.

4. Conversões

A taxa de conversão de um clique para uma conversão é chamada de CR (Conversion Rate). Caso você tenha boas impressões e bons cliques em anúncios e suas conversões continuem abaixo do esperado é provável que exista uma quebra de expectativa com o usuário. Ele foi atraído pelo conteúdo de seu anúncio, mas não foi convertido em resultados. Isso quer dizer que o usuário demonstrou disposição de realizar determinada ação, mas encontrou dificuldades ou não encontrou o produto/serviço da forma que ele esperava. Caso seu problema esteja nas conversões você pode utilizar o Google Analytics para verificar onde seus usuários circulam dentro de seu site e em que momento o abandonam. Com essas informações você deve ter maior capacidade de determinar onde deve melhorar para conquistar os resultados.

Dá para fazer testes?

Uma das formas de melhorar as conversões é pelo teste A/B. Os testes A/B servem para que você consiga analisar quais dos modelos expostos, independente do que você esteja testando, funcionem melhor. A primeira coisa que você precisa fazer para realizar um teste A/B de qualidade em suas campanhas  do Google Ads é estabelecer o que você precisa ou quer descobrir. Portanto analisar a campanha em andamento ou para o planejamento da próxima campanha no Google Ads é fundamental para verificar o que precisa ser otimizado.

Verificar a base de dados de campanhas anteriores e descobrir pontos fracos faz parte da análise do que pode ser melhorado. E após realizar esta análise, anote pontos de melhoria e que podem ser descobertos através dos testes A/B. A regra para que tudo saia dentro de uma boa qualidade é que se faça, apenas, um ou dois testes simultaneamente.

Quando se faz mais de um teste A/B de forma simultânea, um teste pode influenciar os resultados do outro e, portanto, os dados que forem colhidos ao final do teste, não serão confiáveis. Não cometa o erro de fazer testes A/B com parâmetros diferentes.

Muitos profissionais cometem esse erro fatal, na hora de criar os seus testes, os diferenciam demais e acabam, sem querer, mudando o foco da análise. Ou seja, você precisa modificar as mesmas partes ou áreas nos dois modelos de testes. Por exemplo, se no teste A você mudou a cor da flecha, no B faça a mesma coisa.

Se no modelo A você modificou uma frase, no B o ponto de análise continuará sendo a frase. Uma dica é deixar o modelo A sendo testado por 7 dias e aplicar o mesmo método com o modelo B, assim você mensura tempos iguais.

Quer saber mais sobre campanhas de Google Ads? Entre em contato com a Agência 3GRAUS. Temos a estratégia perfeita para o seu negócio!

Blogs Recentes

Postado por 

digital
12 de maio de 2021

Estar em todas as redes sociais é a melhor opção?

Continuar lendo…

Postado por 

digital
6 de maio de 2021

O Dia das Mães para o varejo em 2021

Continuar lendo…

Postado por 

digital
12 de abril de 2021

4 Ps do Marketing x 8 Ps do Marketing Digital

Continuar lendo…

VAMOS MARCAR
UMA CONVERSA?

agência 3Graus

WhatsApp